quinta-feira, 21 de outubro de 2010

As Galinhas atropeladas I

O grave caso galinhas, a promotora de Justiça Karina Albuquerque Denicol foi testemunha do atropelamento de duas galinhas em São Valentim, no norte do Rio Grande do Sul, segundo ela o acidente podia ser evitado, como atua na área ambiental acionou a Brigada Militar, pessoal minha opinião foi relatada no Blog do Paulo Sant'Ana, segue abaixo minha opinião na integra:

Caro Sant’ana, a atitude pode ser nobre, mas os estragos poderiam ser piores caso o motorista tentasse desviar das galinhas. Vamos supor que o mesmo desviou e matou 4 crianças, o que o Senhor acha que ia acontecer com o motorista ?? Nadinha, ele não ia ser punido, pois seria somente um acidente de transito, portanto acho que o Poder Judiciário deve cuidar de casos extremamente graves que não andam na Justiça Brasileira Quantos homicídios que não são julgados ?? Quantas famílias esperam a punição da morte de entes queridos ?? Quantos acidentes de veículos causados por embriagues estão na fila de espera ?? Quantos apenados estão encarcerados e sua sentença terminou ?? Quantos políticos com a ficha suja concorreram as eleições devido à lentidão da Justiça ?? Quantas pessoas aguardam decisões judiciais para adquirir remédios essenciais a sua existência ?? Quantos pais têm filhos viciados em Crack aguardam uma decisão da Justiça quanto à internação dos mesmos ?? A mídia tem o vicio de engrandecer poucos casos e deixar a maioria no anonimato, e estes casos expostos pela mídia recebem um suporte do Poder Publico de primeiro mundo, como podemos ver nos casos bruno, Mércia e da galinha, já os casos anônimos ficam para a eterna morosidade da Justiça, sendo estes desrespeitados como cidadão. O Poder Judiciário é despreparado e desestruturado, trabalhando apenas para a minoria do povo brasileiro, isto inclui as galinhas. Se o motorista atropelasse as galinhas, desse um ré e passasse novamente por cima e depois engatasse a primeira marcha novamente dilacerando estas ou eram os únicos alimentos da família, concordaria com o Senhor, mas ele somente atropelou, portanto não vejo a necessidade de levar um caso deste para a Justiça que esta atarefada até o pescoço e parece que não tem nada o que fazer, pois se importam mais com uma galinha do que com uma mãe que chora a perda de sua filha estuprada e assassinada.

Um comentário: