quinta-feira, 17 de março de 2011

Identificar-se no 118 ??

A leitora J.Z. me encaminhou uma mensagem via Facebook falando da Fiscalização de Transito de Caxias do Sul, disse que na rua onde mora, diversos caminhões estacionam em locais proibidos e inapropriados, na primeira vez que a leitora ligou o atendente disse que mandaria uma viatura verificar a solicitação, porem ela não ficou cuidando para ver se realmente foram mesmo até o local.
Na segunda vez que ligou, pois o problema não foi resolvido, o atendente da Fiscalização de Transito não quis identificar-se, já começou errado, por que não identificar-se ?? Além disso, o mesmo ia enviar a viatura somente se J.Z fizesse um cadastro com nome, endereço, telefone e outros dados pessoas, a leitora negou pelo fato do atendente não querer identificar-se e devido ao fato dos “perturbadores” serem seus vizinhos e não querer criar um mal estar.
A leitora estava tentando ter seu direito de ir e vir garantido, mas como seus vizinhos não garantem, ela procurou a via mais fácil e rápida, a Fiscalização de Transito pelo numero de telefone 118, estes deveriam assegurar seu direito, mas como ela não quis identificar-se, sugeriram que procurasse outras vias de resolver o problema.
Os Servidores Públicos tanto da esfera Federal, Estadual e Municipal esquecem que somos nós os que pagam seus salários, portanto deveriam simplesmente prestar o serviço para qual foram contratados e não ficar colocando empecilhos para resolver problemas simples que acontecem no cotidiano, tem que fiscalizar, nosso transito já é ridículo, ainda mais sem fiscalização, é tudo o que os “Ogros do Transito” querem, impunidade.

2 comentários:

  1. Complicado isso, para quem ela reclama? Para a prefeitura não adianta.

    Será que para o MP?

    ResponderExcluir
  2. Não tem de se identificar p* nenhuma, mesmo. Se for para formalizar algum encaminhamento de processo ou denúncia, vá lá. Mas para informar que tem coisa errada acontecendo, não precisa. Quando eu ligava para o SAMAE para avisar que tinha medidor aberto nas ruas da cidade (bem provável que tenham sido furtados), ficavam me enchendo o saco e pedindo identificação, também. Só pra depois tentar insistir para ver se, de repente, talvez não fosse eu o ladrão arrependido ou algum parente...

    E a leitora fez bem; Pediu, solicitou, reclamou e não foi atendida? Prende o grito!

    J.Cataclism

    ResponderExcluir